Robaina assina compromisso pela valorização dos bibliotecários do Rio Grande do Sul

As políticas de desmonte da Educação repetidas governo após governo no Rio Grande do Sul fizeram praticamente desaparecer das escolas estaduais a figura do bibliotecário. A afirmação não é nenhum exagero, já que hoje apenas 20 profissionais da área estão em atuação nas 2,5 mil escolas estaduais. Ou seja, menos de 1% das instituições de […]

12 set 2018, 12:24
Robaina assina compromisso pela valorização dos bibliotecários do Rio Grande do Sul

Foto: Vagner Benites, PSOL/divulgação

As políticas de desmonte da Educação repetidas governo após governo no Rio Grande do Sul fizeram praticamente desaparecer das escolas estaduais a figura do bibliotecário. A afirmação não é nenhum exagero, já que hoje apenas 20 profissionais da área estão em atuação nas 2,5 mil escolas estaduais. Ou seja, menos de 1% das instituições de ensino contam com o profissional essencial para a promoção da leitura entre os estudantes.

O quadro atual e as reivindicações da categoria foram levadas na manhã desta quarta-feira (12) pelo Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB-10) e pelos estudantes do movimento Bibliotecários em Marcha ao candidato a governador da coligação Independência e Luta para Mudar o Rio Grande (PSOL-PCB), Roberto Robaina.

O encontro contou com a presença da bibliotecária de formação e candidata a deputada federal do PSOL, Fernanda Melchionna.

Sem concurso público na área desde 1994 e com uma defasagem de pelo menos 700 profissionais, os grupos reafirmaram a necessidade de valorização da categoria e da apresentação de um plano por parte das candidaturas ao Piratini para reativação e valorização das bibliotecas no âmbito escolar e também nos municípios.

“Nosso compromisso com vocês é total. Essa luta é uma luta difícil, porque nós temos um quadro nacional de desmonte de tudo que é público e coletivo. Por isso nós precisamos fazer um debate, que hoje está sendo barrado, sobre o financiamento do que é público”, disse Robaina aos cerca de 20 presentes.

Dos 20 bibliotecários em atividade nas escolas do Estado, todos poderão pedir aposentadoria nos próximos cinco anos. Para evitar a extinção completa do profissional na rede pública, a presidente do Conselho Regional dos Bibliotecários, Luciana Kramer, apontou a necessidade de uma ação emergencial com o chamamento de pelo menos 100 bibliotecários pelo Estado.

Para selar o compromisso com a causa dos bibliotecários, Robaina assinou dois documentos durante o encontro: a do Conselho Regional, com cinco propostas para a categoria, e a do grupo Bibliotecários em Marcha, em que o candidato se comprometeu a cumprir a lei 12.244, que prevê um prazo de 10 anos para que todas as bibliotecas escolares tenham condições de atendimento e sejam geridas por um bibliotecário.

“A luta dos bibliotecários é estratégica e permanente. O primeiro lugar que os governantes cortam investimento é da cultura e da educação, o que afeta diretamente as políticas de leitura. Há um desmonte generalizado promovido pelos governos daquilo que eles não consideram importante. A gente precisa virar esse jogo”, afirmou Fernanda Melchionna.

Foto: Vagner Benites, PSOL/divulgação