Luciana Genro

Você sabe para que serve o Senado?

Pela Constituição, são poucas e pouco relevantes as atribuições exclusivas desta casa legislativa. Além disso, é um cabide de emprego com quase 10 mil pessoas circulando para atender os 81 senadores. O custo dessa brincadeira ultrapassa os R$ 4 bilhões por ano.

Vale a pena manter uma estrutura onerosa para o país em troca de algumas migalhas de resultado?

Por tudo isso nós queremos levar ao povo uma alternativa nesta eleição: propor o fim do Senado. Esta é a principal bandeira do PSOL.

Romer Guex, 53 anos, advogado, professor e vereador de vários mandatos em Viamão é o nosso candidato e vai levantar esta discussão.  

Mas e como é possível acabar com o Senado? A resposta é simples: dando à população a oportunidade de definir.

A Constituição prevê a possibilidade de realizar um plebiscito e esta será a principal luta de Romer no Senado da República.

Além do fim do Senado, a auditoria da dívida pública, o fim das indicações políticas para os Tribunais, a extinção dos Tribunais Militares, o fim do auxílio-moradia indiscriminado dado a membros de todos os poderes e a estatização dos cartórios judiciais, dos cartórios de registros notariais e de serviços também são propostas de Romer Guex nesta campanha.

 

 

Suplente:

João Ezequiel, 46 anos, é técnico de enfermagem e servidor público municipal na área da saúde em Porto Alegre. É sindicalista e atua como coordenador do Conselho de Representantes sindicais do SIMPA. João está desde sempre na trincheira em defesa dos municipários e é hoje suplente na candidatura de Romer Guex ao Senado.

O ataque aos serviços públicos promovido em Porto Alegre pelo governo Marchezan exige luta constante contra a perda de direitos dos servidores, privatizações e terceirizações. No Senado, a defesa do trabalhador seguirá ainda mais forte.

A revogação da Reforma Trabalhista e a luta contra mudanças na Previdência Social serão temas constantes da pauta do PSOL no Congresso Nacional, assim como o fim dos privilégios dos políticos e da entrega do patrimônio nacional promovido pelo governo ilegítimo de Temer.

 

Suplente:

Osmar Tonini, 54 anos, é professor de filosofia da rede estadual de ensino. Natural de Pejuçara (RS), milita no Psol desde a fundação do partido, em 2004. Suplente na candidatura de Romer Guex ao Senado, Osmar participa pela primeira vez em um processo eleitoral.

Com mais de 20 anos de militância, Osmar é integrante do sindicato dos professores do Rio Grande do Sul (Cpers) e fez parte da chapa que concorreu à direção da associação em 2014.

O fim dos privilégios dos políticos, a defesa da classe trabalhadora contra a perda de direitos e a luta pelo fim da entrega do patrimônio brasileiro comandada por Temer estão entre as principais bandeiras da candidatura do PSOL ao Senado.

A evolução na garantia dos direitos individuais também entram na pauta do partido no Congresso Nacional, com temas como a legalização da cannabis e do aborto.