Luciana Genro

Facebook Whatsapp Instagram

Insistem que é impossível para a negritude, para as mulheres, para a periferia, para a juventude, viver em um país de igualdade. Nos chamam de minoria.

Os homens brancos engravatados que ocupam o poder trabalham para que nosso lugar não seja o centro, a universidade, que nos restem os piores postos de trabalho e que as mulheres sigam na cozinha! Criam legislações que oprimem mulheres, LGBTs e mantém a juventude negra encarcerada ou morta.

Nós dissemos basta! Resistimos e insistimos em escrever nossa história com nossas próprias mãos!

Somos sementes de Marielle, mulher negra da periferia, que defendia que o 1% que domina a economia parasse de fazer da vida dos 99% uma guerra.

Marielle moveu estruturas, nós movemos estruturas e vamos seguir o seu exemplo. Sua luta não será calada. Não aceitamos que as decisões sobre nós sejam sem nós!

Por essa razão, nós do Juntos apresentamos Carlinha Zanella, Cientista Social, estudante de Direito da UFRGS,  e Coordenadora da Emancipa Mulher, jovem negra, da periferia de Porto Alegre, candidata a deputada federal.

O parlamento precisa ter a cara da juventude, da negritude, das mulheres: do povo.