Foto: Luis Adriano Madruga/ PMPA
Foto: Luis Adriano Madruga/ PMPA

| Notícias

Fizemos nova visita ao Ministério Público de Contas (MPC) para tentar barrar a entrega do patrimônio municipal promovida pelo governo Marchezan. Entreguei ao procurador-geral do MPC, Geraldo da Camino, o edital que dá conta da contratação de uma empresa para fazer a modelagem da desestatização do Dmae por um valor que ultrapassa os R$ 4 milhões.

É o começo da delegação do serviço de saneamento e água de Porto Alegre para a iniciativa privada, mesmo que o Dmae tenha, atualmente, um superávit acima de R$ 100 milhões e que, apesar da tentativa de sucateá-lo, ainda preste um serviço bom à população.

Deixei claro ao procurador minhas suspeitas de ilegalidade nesse processo, a começar pelo valor altíssimo que se pretende pagar para mais uma consultoria, sendo que a prefeitura reclama de problemas de caixa e, convenhamos, tem corpo técnico para esse tipo de avaliação.

Diante da nossa provocação, Geraldo da Camino garantiu que vai avaliar o edital e os valores que nele estão sendo negociados. O pregão está marcado para o fim de agosto e, se depender dos nossos esforços, não sairá do papel.

Entregamos em mãos aos procurador o edital que anuncia o pregão para o final deste mês