WhatsApp-Image-2019-06-24-at-16.51.01
WhatsApp-Image-2019-06-24-at-16.51.01

| Notícias
Ao lado de motoristas de app, levamos ao secretário as demandas de segurança da categoria

O vereador Roberto Robaina e a deputada estadual Luciana Genro intermediaram uma reunião entre representantes de motoristas de aplicativos e o vice-governador e secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Júnior, na manhã de sexta-feira, 12 de abril.

No encontro, realizado no prédio da Secretaria de Segurança Pública, os motoristas de aplicativos pediram mais medidas para a segurança dos trabalhadores dessas plataformas de transporte. Os apelos foram feitos diante das delegadas Adriana Regina da Costa, diretora do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), e Andrea Magno, titular da Divisão de Inteligência Policial e Análise Criminal do DPM, do delegado Emerson Wendt, diretor do Departamento de Inteligência de Segurança Pública (DISP), além do coronel Marcelo Gomes Frota, secretário adjunto da SSP.

Em meio a inúmeros relatos de violência ou insegurança na atividade, representantes da Associação dos Motoristas Privados e de Tecnologias (Ampritec) e da Associação Liga dos Motoristas de Aplicativos do RS (Alma-RS) pediram apoio ao Projeto de Lei (PLL 010/19) que obriga os aplicativos de transporte (Uber, 99, Cabify etc.) a cadastrar os usuários que optarem pelo pagamento em dinheiro, solicitando RG e foto do passageiro, além de uma senha de acesso para solicitar o serviço.

Ainda que a proposta, de autoria do vereador Robaina, tramite na Câmara Municipal de Porto Alegre e, se aprovada, tenha validade somente em âmbito municipal, os motoristas entendem que ela pode ser uma espécie de guia para outros municípios, assim como a regulamentação geral do serviço, aprovada no ano passado na Capital.

– Se a bancada do PTB assumir a defesa do projeto, nós conseguimos aprová-lo. Não é um projeto só meu e do PSOL, é um projeto desses trabalhadores. Eles mesmos estão fazendo as melhorias nessa proposta – ponderou Robaina.

O vice-governador, que é do PTB, garantiu que vai levar a demanda aos vereadores da sigla e ressaltou que a violência contra motoristas de aplicativos tem recebido atenção especial dos órgãos de segurança do Estado. Os motoristas, por sua vez, reconhecem os esforços do governo, mas entendem que o PLL 010/19 colocaria em prática medidas contra a violência.

– Esse projeto significa mais segurança. A gente sabe que não é a solução, mas minimizaria os riscos. A gente quer um cadastro bem feito, para que a gente saiba quem está entrando no nosso carro – disse Joe Moraes, presidente da Alma-RS.

Julio Cesar Aguiar, da Ampritec, explicou que algumas plataformas tentam se adequar – uma delas chegou a colocar câmeras nos carros para inibir assaltos -, mas que, diante de exigências diferentes entre as empresas, os motoristas se veem em um fogo cruzado, já que muitas vezes trabalham para mais de um aplicativo:

– Sem uma exigência para todos, o motorista fica numa guerra de tubarões. A vida é muito mais importante do que qualquer negócio.

O vice-governador acolheu as demandas e disse que vai aguardar o resultado de uma reunião, marcada para 22 de abril, entre Polícia Civil, Brigada Militar, Ministério Público, empresas de apps de transporte e entidades representantes dos motoristas de aplicativos, para definir uma linha de ações. Ele adiantou que, possivelmente, um grupo temático deve ser criado para debater a situação específica da violência contra motoristas de aplicativos.