20180830_151956
20180830_151956

| Notícias

Robaina em Caxias do Sul Foto: Vagner Benites, Psol/divulgação

Pagar em dia os salários dos servidores públicos, adotar medidas para aumentar as receitas e rever a política de incentivo prioritário a megaempresas e ao agronegócio exportador de soja foram os principais destaques da fala do candidato a governador da coligação Independência e luta para mudar o Rio Grande, Roberto Robaina, na noite desta quinta-feira (30) em Farroupilha.

Robaina esteve na cidade da Serra para participar do Painel UCS/Parlamento Regional com os candidatos ao governo estadual. Saúde, Educação, Infraestrutura, Segurança Pública e Finanças Públicas foram os temas perguntados aos candidatos. José Ivo Sartori, Miguel Rosseto e Mateus Bandeira não compareceram ao debate.

“Não sou candidato a governador para ser representante dos grandes empresários. Temos hoje no Rio Grande do Sul um capitalismo atrasado e em um cenário como esse, temos que buscar incentivar as pequenas e médias empresas”.

Em sua fala, Robaina reafirmou o compromisso do governo PSOL-PCB com o pagamento em dia dos salários e valorização dos trabalhadores.

“Além de desestimular o servidor, o atraso nos salários tem um impacto recessivo no comércio de todas as cidades. Priorizar a educação é fundamental e é um compromisso da nossa proposta”.

No tema Segurança, Robaina contrapôs as soluções fáceis que Jair Bolsonaro apresenta no plano nacional. O aumento do número de presos no Estado, de 13 mil no ano 2000 para 40 mil em 2017, coincidiu com a piora na sensação de segurança da população. O número mostra que só o encarceramento não basta: é preciso uma mudança na política da segurança pública.

“Tem uma candidatura que dá uma resposta simples para um problema complexo. A resposta simples vai ser sempre errada. Segurança é uma questão nacional, nós sabemos que não compete ao governo do Estado mudar a legislação do país, mas podemos indicar prioridades. Nossa prioridade será combater os crimes contra a vida, os latrocínios, feminicídios e homicídios.”

Robaina em Farroupilha
Foto: Vagner Benites, Psol/divulgação

Para as Finanças Públicas, Robaina afirmou a necessidade de o Estado tomar uma posição altiva no assunto. Estudos dos técnicos da Secretaria Estadual da Fazenda mostram que se o governo não atacar a questão da dívida, a situação fiscal do Rio Grande do Sul não será enfrentada.

“Resolvendo o tema da dívida, o déficit do Estado é administrável. O Regime de Recuperação Fiscal, que é a proposta do Sartori, não resolve o problema, só prolongar por mais 20 anos os pagamentos. A dívida já foi paga e o Rio Grande do Sul precisa firmar uma posição clara e forçar uma repactuação nacional”.

CAXIAS DO SUL

Antes, durante a tarde, Robaina esteve em Caxias do Sul. Juntamente com a militância local do PSOL e do PCB, percorreu as ruas da região central da cidade, entre o bairro São Pelegrino até a Praça Dante Alighieri.

Clique aqui e conheça as propostas da nossa coligação para o governo estadual